Blog

Como identificar um carro roubado ou furtado?

carro roubado

Como identificar um carro roubado ou furtado?

No momento da venda de um veículo, é comum que o proprietário não diga ou mesmo não saiba que o carro já foi roubado ou furtado. Portanto, se você pretende adquirir um automóvel usado é bom conhecer um pouco mais sobre o histórico do veículo antes de fechar o negócio.

Caso adquira um carro roubado ou furtado mesmo sem saber, o comprador terá que provar que não é o responsável pelo roubo, além de não conseguir transferir o veículo para seu nome. E mesmo que consiga fazer essa transferência, será muito difícil passar despercebido em uma vistoria no Detran ou em blitz policiais.

Se o carro for apreendido será devolvido ao devido proprietário. E o comprador terá que arcar com o prejuízo e a dor de cabeça de ser chamado para depor como portador de um veículo roubado.

Fique alerta com o preço

Desconfiar de preços muito abaixo do valor de mercado é a primeira atitude para diminuir os riscos de comprar um veículo roubado ou furtado. Comprar um carro de um particular ou em feiras livres em geral permite que você encontre ótimas ofertas. Mas também traz risco maior de deparar com um carro roubado. As concessionárias normalmente realizam essa checagem e garantem a procedência dos veículos vendidos aos clientes. Na dúvida, o mais recomendado é sempre contratar uma consulta veicular.

Documentos

Exija todos os documentos e certifique-se de que são originais. O CRV (Certificado de registro de veículos) é o principal documento e o que deve ser preenchido caso o veículo possua alguma alteração. No caso de uma venda, será nele que constará a passagem de propriedade.

O CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos), mais conhecido como o licenciamento do veículo, é o documento de porte. No Brasil, há quadrilhas especializadas em roubo e revenda de veículos que furtam documentos para adulterar os dados dos CRLV. Na dúvida, confronte com um documento que você tem certeza de que é original.

Placa

Cheque se os dois furos do lacre na placa estão alinhados e sem rebarbas ou marcas de lixas. Veja também se o lacre ou o fio estão rompidos. Em toda placa há um discreto código gravado no metal, junto do número principal e outro ao lado da tarjeta da cidade de origem. Nesse código, as duas letras do meio identificam o estado e as últimas o ano de fabricação da placa ou da tarjeta. Veja se elas coincidem entre si e se fazem sentido com os dados do carro. Caso haja diferença, não significa necessariamente uma fraude, mas um alerta. Tente descobrir se houve perda de placas, acidentes ou transferência de outro estado.

Motor e outras peças

A remarcação do chassi ocorre quando sua estrutura original foi danificada por diversas razões como: deterioração da estrutura do carro, batidas, raspagem de numeração. No cofre do motor há também uma etiqueta de identificação, assim como na coluna da porta do passageiro e quase sempre no assoalho. Essas etiquetas têm o número final do chassi e são autodestrutíveis, portanto, não é possível retirá-las sem que estraguem.

Procure em algumas peças a data de fabricação. Os locais mais fáceis de encontrar são nos vidros e na etiqueta do cinto de segurança. Um carro fabricado em 2007 não pode ter peças de 2008.

Consulta veicular

Antes de fechar o negócio, faça sempre uma consulta veicular para saber o histórico do veículo. Na Olho no Carro, apenas com a placa ou chassi, você consegue saber se o veículo sofreu sinistro, foi roubado ou furtado, entre outras ocorrências. É possível ainda obter dados sobre quilometragem, chassi remarcado, débitos e multas.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar

Carrinho ({{getQtdItemsCart()}})

{{i.title}}

R$ {{(i.price * i.amount) | number : 2}}
- +

{{i.title}}

R$ {{(i.price * i.amount) | number : 2}}
- +
Total a pagar: R$ {{getTotal() | number : 2}} Ir para o pagamento