Blog

Kit gás: vale mesmo a pena? Saiba tudo sobre o uso do GNV

Muito se fala sobre a economia que a instalação do Kit gás proporciona para os motoristas. Mas, existem algumas questões que devem ser consideradas antes de optar pelo uso do GNV em um veículo

Neste texto você vai saber:

  • O que é GNV
  • Para quem é recomendado o uso do GNV
  • Qual o valor da instalação do Kit gás
  • Qual é o melhor motor para instalar o Kit gás
  • Se o uso do GNV prejudica o motor
  • Quais são as desvantagens do uso de Kit gás
  • Como funciona a manutenção preventiva dos carros que usam GNV
  • Diferença entre o Kit gás das gerações 3 e 5
  • Como instalar o Kit gás de forma legalizada

Está pensando em comprar um carro usado que tem Kit gás?

Além de entender mais sobre o assunto, você pode fazer uma consulta veicular para garantir se está tudo em ordem com ele, antes de comprar. Assim você evita problemas com restrições, roubo e furto, leilão e muito mais. Consulte agora e compre tranquilo!

saber o histórico completo de um veículo e se ele possui kit gás

O que é GNV?

GNV é uma sigla que significa Gás Veicular Natural. Como o próprio nome sugere, é um combustível veicular gasoso que, geralmente, é mais econômico e menos poluente do que os combustíveis líquidos, como etanol e gasolina. 

Esse é o gás utilizado no cilindro do Kit gás que é instalado nos carros.

Pra quem é recomendado o uso do GNV?

O uso do Kit gás se torna interessante para motoristas que utilizam o carro com frequência. No geral, a economia começa a ser notada por motoristas que rodam a partir de 70 km por dia. 

O uso do Kit gás é ainda mais econômico para motoristas que utilizam o veículo para percorrer longas distâncias, isso porque, durante os percursos mais longos, há menos subidas e retomadas do que nos percursos normais nas cidades. E é nos processos de subida e retomada que se gasta uma maior quantidade de combustível.

Mas, a economia também vai depender do valor de comercialização do GNV em cada estado. Estados que têm gasodutos costumam ter postos com GNV a valores menores do que os que precisam trazer esse gás de outros estados. 

Sendo assim, para veículos que são muito utilizados e são abastecidos em postos em que o GNV é encontrado por um preço barato, a economia proporcionada pelo uso do GNV em comparação à gasolina pode ser de até 61,1% e em comparação ao álcool pode ser de até 59%.

Você sabia que por meio da consulta completa da Olho no Carro é possível saber se um carro possui Kit gás? 

Isso facilita a sua vida durante a compra de um carro usado, porque carros com Kit gás têm seguros mais caros do que os de carros convencionais.

Além da informação sobre Kit gás, você vai poder saber se o carro tem passagem por leilão, indício de sinistro, histórico de roubo e furto, adulteração de quilometragem, gravame e muito mais. Para consultar é necessário saber apenas a placa do veículo.

Não é melhor fazer uma consulta completa?

saber se o carro tem kit gás e a situação completa do veículo pela placa

Qual o valor da instalação do Kit gás?

O valor do Kit gás é relativo, pois depende do modelo escolhido, da capacidade do cilindro e também da empresa instaladora escolhida para realizar o serviço.

Para instalar um Kit gás geração 3, você pode gastar de R$ 1.300 a R$ 2.000. Já para instalar um kit da geração 5, você pode gastar de R$ 3.990 a R$ 5.000.

É importante buscar por instaladoras homologadas pelo Inmetro. Assim, é possível ter a garantia de que a instaladora cumpre os procedimentos de qualidade para a instalação do Kit gás.

Preços muito atrativos não são uma boa ideia, porque os cilindros utilizados em Kits gás muito baratos, normalmente são requalificados e  podem vir a ter defeitos e vazamentos ao longo do tempo, que ocasionam em explosões.

Qual é o melhor motor para instalar o Kit gás?

Por gerar uma perda de potência significativa, o uso do Kit gás é recomendado para motores que estejam acima de 1.0, ou seja, motores de 1.4 a 2.0.

Mas, isso não quer dizer que veículos com motor 1.0 não podem fazer o uso do GNV. É necessário apenas encontrar um Kit gás que seja mais adequado a esses tipos de carro e uma empresa instaladora que saiba realizar esse serviço da melhor forma.

O uso de GNV prejudica o motor?

Usar o GNV corretamente, não prejudica o motor. Para isso, é necessário ter alguns cuidados básicos:

  • Manter o tanque de combustível com pelo menos ¼ do seu volume ocupado por combustível líquido. Isso é importante porque o combustível líquido ajuda na lubrificação e limpeza das válvulas do sistema de injeção de combustível.
  • Utilizar o combustível líquido para ligar o carro e só usar o GNV quando o carro atingir a temperatura certa para a combustão do gás.
  • Trocar o combustível líquido regularmente, principalmente se estiver usando a gasolina. Isso evita que o combustível apodreça e perca sua capacidade de combustão.
  • Caso tenha um carro Flex, dê preferência ao uso do etanol. Além de não apodrecer facilmente, ele tem uma taxa de compressão mais próxima à do GNV.
imagem exemplo de kit gás instalado no carro

Quais são as desvantagens do uso de Kit gás?

Apesar da economia comprovada em alguns casos, optar por um Kit gás em seu veículo pode ter algumas desvantagens como:

  • Perda de potência, principalmente em subidas e retomadas
  • Perda de espaço no porta malas, devido ao tamanho do cilindro
  • Desgaste do motor, caso não sejam feitas as manutenções devidas
  • Dificuldade de encontrar postos com GNV para reabastecer
  • Perda da garantia dada pela montadora (algumas montadoras oferecem o serviço de instalação do GNV com garantia, quando essa instalação é feita na própria concessionária)
  • Alteração no valor do ressarcimento de seguro. Isso porque, as seguradoras entendem que os carros com Kit gás, tem uma chance maior de se envolver em acidentes

Como funciona a manutenção preventiva dos carros que usam GNV?

Devido ao fato do GNV comprometer a lubrificação do motor, a manutenção preventiva dos carros com Kit gás deve ser mais recorrente do que a dos carros que utilizam os combustíveis tradicionais.  

O filtro de ar no motor, as velas e cabo de velas, desgastam um pouco mais com o uso do GNV. Por esse motivo, se o manual do carro diz que é necessário trocar o filtro de ar do motor com 30 mil km, o ideal é que você troque com 15 mil ou 20 mil Km, no máximo. 

Troque as velas a cada 20 mil km e o cabo de velas a cada 40 mil ou 50 mil Km, no máximo. O cabo de velas de veículos que utilizam o GNV se desgasta mais, porque a ignição do gás é um pouco mais demorada do que a da gasolina ou do etanol. Fazendo essa prevenção, você vai evitar folga ou travamento das válvulas do motor e a rachadura de cabeçote. 

É importante lembrar também de trocar o líquido refrigerante com uma certa frequência, porque o GNV refrigera menos do que os combustíveis líquidos.

Além disso, para evitar o backfire (explosões no escapamento), o ideal é usar um bom variador de avanço.

Diferença entre o Kit gás da geração 3 e 5

Potência:

Geração 3 – Perde mais potência. 

Geração 5 – Perde menos potência, por ter um sistema de combustível injetado.

Troca entre combustível líquido e GNV:

Geração 3 –  Tem que ser feita de forma manual.

Geração 5 –  É feita de forma automática.

Entrada de gás no tanque:

Geração 3 – É feita por sucção. 

Geração 5 – É feita por injeção.

Filtro:

Geração 3 – Não possui filtro e isso faz com que o óleo, que algumas vezes entra junto com o gás no momento do abastecimento, fique acumulado no redutor de pressão.

Geração 5 –  Possui um filtro que evita entrada de óleo no redutor de pressão.

Regulagem:

Geração 3 – A regulagem é feita por um mecânico ou até mesmo pelo próprio usuário (este último caso não é recomendado).

Geração 5 – A regulagem é feita por um software criado especificamente para essa função, por esse motivo, a regulagem do geração 5 é mais refinada.

Cilindros, suportes e válvulas:

São iguais para as duas gerações.

Como instalar um Kit gás de forma legalizada?

Como já foi dito anteriormente, o primeiro passo é buscar por uma empresa instaladora que seja credenciada pelo Inmetro. 

Depois que a instalação for feita, será necessário levar o carro até um Órgão de Inspeção Acreditado (OIA), para que o carro também seja validado por esse órgão. Você pode encontrar a lista dos OIA disponíveis, por meio do site do Inmetro, através desse link: lista dos OIA do site do Inmetro

Após receber essa validação, será necessário pegar alguns documentos como: o certificado de homologação, a nota fiscal do Kit GNV, a nota fiscal do cilindro ou do reteste e o atestado de qualidade do instalador registrado utilizado para tirar o Certificado de Segurança Veicular (CSV) e levar até o Detran do seu estado para poder fazer o Registro da Alteração de Combustível.

Essa mudança de combustível também deve ser comunicada à seguradora do veículo.

E aí, ficou interessado no GNV ou chegou à conclusão de que não é pra você? Conta pra gente nos comentários.

  • Compartilhe essa informação para um amigo, ela pode ser útil para ele também:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar